Greve de caminhoneiros ameaça coleta de lixo no Brasil

A coleta de lixo é um dos serviços essenciais que estão sendo impactados pela falta de combustíveis no país. O setor recorreu a planos de contingência e está adotando alternativas para prolongar ao máximo o que ainda resta de combustível para manter a coleta de resíduos nas cidades brasileiras. Uma dessas medidas é a coleta alternada, realizada de acordo com a demanda de cada região, ao invés da coleta porta a porta, que consome uma enormidade de diesel.
Em São Paulo, por exemplo, onde o recolhimento de lixo é universalizado - ou seja, o caminhão passa em absolutamente todas as ruas da capital - são consumidos cerca de 50 mil litros de combustível por dia, de acordo com o Sindicato Nacional das Empresas de Limpeza Urbana (Selurb). A Prefeitura de São Paulo, inclusive, já comunicou que não terá condições de fazer a coleta de resíduos nesta sexta-feira (25/05) e entrou na Justiça contra os sindicatos dos Transportadores Rodoviários Autônomos de Bens e das Empresas de Transporte de Cargas do Estado de São Paulo e Região.
Segundo o Selurb, algumas empresas das grandes capitais ainda têm conseguido carga extra de diesel para prolongar a capacidade de atendimento à população, mas a situação está crítica. "Em muitas capitais só há estoque suficiente para fazer o trabalho completo até esta sexta-feira. A situação não pode se estender mais ou teremos problemas ambientais e de saúde pública graves", alerta Marcio Matheus, presidente do Selurb.
Danthi Comunicações
Caroline Justo

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Seminário marca início do Mestrado Profissional em Educação da URCA

SENAI Juazeiro do Norte abre matrículas para cinco cursos técnicos

Cartórios divulgam os nomes mais registrados no Ceará em 2017